Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Diretor da Forsa fala sobre industrialização da construção

Membro do Conselho AEC Academy, Marcus Palanca, acredita que este é um caminho sem volta para aumentar a produtividade e contornar a falta de mão de obra no setor

Publicado em: 29/05/2024

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket


O diretor comercial da Forsa Brasil, Marcus Palanca, agora é membro do conselho da AEC Academy, iniciativa de fomento à educação continuada e treinamento na construção civil do Portal AECweb.

Na entrevista, ele fala sobre novas tecnologias e tendências, produtividade, industrialização, mão de obra e a importância da educação continuada.

Confira!

Clique aqui, siga o canal do Portal AECweb no WhatsApp e receba os melhores conteúdos sobre construção civil no seu celular.

Portal AECweb – Quais são as principais tendências para construção civil?

Marcus Palanca – Eu enxergo uma nuvem principal, essa da construção 4.0 trazendo todas essas vertentes como a sustentabilidade, a produtividade, a industrialização e o BIM... Mas acho que a principal, sem dúvida nenhuma, é a industrialização. É um caminho sem volta. A gente precisa projetar, precisa fazer as coisas de uma maneira diferente, sobretudo pela escassez de mão de obra que estamos enfrentando. E estamos indo para um caminho não só de parede de concreto, mas da construção modular também. Acho que a construção civil só tem a ganhar com a implantação desses outros sistemas considerados inovadores no Brasil, mas que no mundo afora já conhecemos muito bem.

Portal AECweb – Quais são os caminhos que você enxerga para industrialização e aumento de produtividade na construção?

Marcus Palanca – A Forsa chegou ao Brasil em 2007, mas foi fundada em 1995. O Brasil foi o último país em que a gente implementou o sistema construtivo como tal. Claro, nós temos os efeitos dos sismos nos países vizinhos e tudo mais, mas no Brasil a gente enxerga o potencial do país, com, principalmente, a questão da demanda habitacional. Temos essa questão da falta de mão de obra, então o nosso trabalho desde sempre é de convencer a construtora que hoje está trabalhando no convencional, a migrar para um sistema construtivo industrializado. Ao comparar o sistema construtivo parede de concreto com qualquer outro sistema convencional/artesanal – desde empilhar tijolos ou montar algo com madeira, constatamos que o sistema de parede de concreto é 2x, 2,5x ou até 3x mais rápido que qualquer outro sistema como esses convencionais.

Portal AECweb – Na sua visão, qual a importância da educação continuada?

Marcus Palanca – A educação continuada é imprescindível. Estamos sentindo falta disso. Precisamos ter essa constância nesse sentido, sobretudo, tentar aproximar mais os jovens daquilo que eles têm domínio, que eles gostam, que eles querem estar presentes, se fazerem presentes no setor através da tecnologia. Estamos diante de uma oportunidade única, do meu ponto de vista, já que estamos tentando trazer tecnologia para o setor da construção civil como tal. E acho que esse é o caminho para atrair os jovens e impulsionar a cadeia.

Portal AECweb – Você acaba de aceitar um convite do Portal AECweb para fazer parte do Conselho Editorial da AEC Academy, iniciativa na área da educação voltada para profissionais e empresas de toda a cadeia produtiva da construção civil. Qual é a sua expectativa a respeito?

Marcus Palanca – A minha expectativa – não só minha como a da Forsa – é realmente agregar valor a esse conteúdo da AEC Academy, trazendo a nossa experiência não só desses anos de Brasil, como também do exterior, sendo constante. Espero que possamos participar de muitos eventos junto ao AECweb, trazendo esse conteúdo não só sobre parede de concreto, mas da construção industrializada.

Quer falar com um especialista Forsa? Clique aqui.

Leia também:

Eduardo Toledo analisa o estágio do BIM na construção civil
Cláudio Mitidieri fala sobre principais tendências na construção civil
Mauricio Bianchi defende qualificação dos projetos na construção civil