Filtrar

PESQUISE POR ESTADO E REGIÃO

REGIÃO DE ATENDIMENTO

Quadras e pisos esportivos

Um piso esportivo de qualidade, deve proporcionar segurança, performance, durabilidade e conforto aos atletas das mais diversas idades e níveis de desempenho, atendendo às necessidades específicas de cada uma.

Quadras Poliesportivas

MMA Comércio de Telas Especiais

Quadras Poliesportivas

A MMA Telas oferece serviços para todas as etapas da construção de quadras poliesportivas, como cercamentos, demarcações,...

Quadras Poliesportivas
BSW Regugym OS 3 mm
BSW Regugym OS 3 mm
BSW Regugym PU 7 mm
BSW Regugym PU 7 mm
BSW Regupol Everstone
BSW Regupol Everstone
Limonta Sport Pro
Limonta Sport Pro
Piso BSW Regupol PD
Piso BSW Regupol PD
Piso Modular Indoor
Piso Modular Indoor
Piso Modular Outdoor
Piso Modular Outdoor
Piso Real Sports
Piso Real Sports
Piso Recobounce Poli
Piso Recobounce Poli

Quais são os tipos de quadras esportivas?

Os esportes que precisam de um piso esportivo específicos são: quadras, como o Futsal, Voleibol, Basquetebol, Handebol, Tênis, Squash, Tênis de Mesa, Badminton, entre outros.


Tipos de Pisos para Quadras Esportivas Externas:


Superfícies esportivas projetadas para o uso ao ar livre, devem ser resistentes às intempéries, como a incidência do Sol, raios U.V., chuvas, e as variações de temperatura, do calor para o frio, e vice-versa, e as dilatações e contrações, dos materiais envolvidos, e o contrapiso, não apenas ao longo do dia, mas também históricas e sazonais.

É importante ter em mente também a orientação solar leste nascente-oeste poente na implantação e posicionamento da quadra para evitar o ofuscamento da visão dos atletas.

Conheça alguns tipos de pisos recomendados para áreas externas:

Polipropileno (PP):

Adotado como o piso oficial do FIBA 3×3 Basketball World Tour, que tem seus eventos realizados de maneira itinerante, e à céu-aberto, o mesmo é composto por placas de polipropileno modulares portáteis intertravadas drenantes, permitindo sua rápida instalação e secagem no caso de chuvas.

Resinas Acrílicas-Vinílicas Com Mantas de Borracha:

Trata-se de uma tecnologia que soluciona o problema de durabilidade das quadras asfálticas, que nem pisos esportivos são consideradas mais, segundo a nova norma técnica ?NBR 165891 ? Superfícies para áreas esportivas?, redigida conjuntamente pela ABNT e ABRIESP.

Constituídas por camada inferior em mantas de borracha SBR pré-fabricadas, fixadas a um contrapiso, devidamente nivelado e alisado, por adesivo poliuretano autonivelante, que recebem sucessivas camadas superiores em resinas acrílicas-vinílicas auto-nivelantes nas mais diversas cores, com demarcação em tinta PU alta-resistência às intempéries, desenvolvida especialmente para o uso em quadras poliesportivas externas.

Asfálticos ou ?Quadras Rápidas?:

Habitué de condomínios residenciais, e preocupação recorrente de seus zeladores e síndicos quando suas Quadras Poliesportivas e de Tênis começam a se desagregar e rachar com 1 a 3 anos de uso eventual, o próprio nome desta tecnologia ultrapassada já deveria causar desconfiança

Concreto ou Cimentado:


Por ser um pavimento rígido, apesar de comumente rachar, quando não executado com os cuidados adequados, como juntas de dilatação corretamente orientadas e dimensionadas, apresenta método de execução simples, custo relativamente baixo e grande resistência ao uso tanto esportivo com multiúso, os seus benefícios, porém, param por aí.

Saibro ou Pó de Pedra:

Escolha dos Tenistas mais velhos, mas presente em Roland Garros, o único dos 4 Grand Slams do Tênis a ser disputado nesta superfície, a redução de força deste substrato formado por areia, pedra e argila, ou pó de tijolo, diminui a velocidade da bola, resultando em jogos mais lentos, com pontos mais disputados e demorados, em relação às chamadas ?Quadras Rápidas?.

Areia:

Piso esportivo de areia está presente em outros esportes de Quadra, mas dotada como padrão pelo Vôlei de Praia, segundo a CBV, a superfície deve ser composta de um camada de no mínimo 40 cm de profundidade areia peneirada, nivelada, tão plana e uniforme quanto possível, em grãos descompactados de um tamanho aceitável, não muito grossos e livre de pedras, conchas e partículas perigosas, que possam apresentar risco de cortes ou de lesão aos jogadores, e não muito finos, para causar poeira, nem lesão na pele, sendo recomendada uma lona de proteção na quadra central para que a cubra em caso de chuva.