Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Telhados vivos

O telhado vivo - ou verde, como também é chamado - é uma solução sustentável e uma forte tendência para o aproveitamento de coberturas de casas e edifícios.

Os benefícios de se plantar grama, árvores, flores, frutas e até hortaliças sobre a laje são muitos: conforto termoacústico, redução dos efeitos das ilhas de calor, captação de água para reuso, aumento da umidade relativa do ar, valorização do empreendimento e embelezamento da cidade. Um telhado vivo pode abrigar uma horta ou um jardim suspenso com áreas de lazer, de convivência e/ou de recreação para as crianças.

Há dois tipos principais de telhado vivo: intensivo ou extensivo. No primeiro tipo, instalado em superfície plana, a espessura do substrato deve ser de 20 a 60 cm e o peso total, de 300 a 500 kg/ m². As plantas são de médio ou grande porte e necessitam de manutenção e irrigação constantes.

Já no segundo tipo, o telhado vivo extensivo, as principais características são o baixo peso (de 70 kg/m²a 170 kg/m²), a camada de terra fina (de 5 a 15 cm) e plantas rasteiras resistentes a períodos de seca. Pode ser construído em edifícios/casas antigos sem a necessidade de modificar a estrutura e em coberturas com inclinação de até 40%.

Há, ainda, os sistemas com módulos prontos já cobertos com vegetação, e os sistemas com pisos elevados. Nestes últimos, a água da chuva é armazenada para irrigação das plantas.

Instalação de telhados vivos

O primeiro passo para a execução de um telhado vivo extensivo em um projeto novo é calcular o excedente de peso que o jardim suspenso proporcionará e, com base nesse cálculo, dimensionar a laje para suportar tal carga.

No caso de edificações já existentes, um engenheiro estrutural precisa estudar a estrutura e definir o peso máximo que pode ser colocado sobre ela.

Feito o dimensionamento, a superfície é preparada para receber o sistema de telhados vivos e recebe a impermeabilização com manta sintética para evitar infiltrações. Uma camada drenante composta por brita, seixos, argila expandida ou manta drenante de poliestireno garante a o suprimento de água para as plantas. Também são utilizadas mantas geotêxteis para reter partículas e membranas de polietileno de alta densidade com, no mínimo, 200 micras de espessura para proteção das raízes (alguns impermeabilizantes já a contém). Por fim, é feita a aplicação da terra e a plantação da vegetação.

Para escolher as plantas, deve-se considerar o clima da região. Elas precisam suportar raios solares, vento e condições extremas, como geadas ou sol muito forte. Assim, as espécies nativas da região são as mais indicadas. Se o clima for seco, pode ser necessária a instalação de um sistema de irrigação, o que aumenta o custo do sistema.

A manutenção do telhado verde consiste basicamente em cuidados com a vegetação, como rega e poda.

Leia mais sobre telhados vivos

Telhados verdes: uma ?floresta? de vantagens