Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Conheça as muitas vantagens das lajes steel deck

Amplamente utilizado no país em diversos segmentos de obras, o sistema permite velocidade na execução da laje, elimina o escoramento e traz economia na armadura. Veja outros benefícios a seguir!

Publicado em: 13/09/2022

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

foto de um homem sobre uma estrutura de aluminio
(Foto: HacKLeR/Shutterstock)

A decisão pelo uso do sistema steel deck de laje deve ser tomada ainda na fase de concepção do projeto. “Dessa forma podemos explorar todas as vantagens do sistema, proporcionando uma construção racional e econômica”, orienta o engenheiro Luciano Figueiredo, diretor da consultoria LBL Metálica.

Esse sistema de laje mista é constituído por uma chapa de aço galvanizado conformada por perfilamento (steel deck) e uma camada de concreto. O steel deck possui dupla função: antes da cura do concreto funciona como uma fôrma autoportante que elimina o escoramento e, após a cura, se incorpora ao concreto, atuando como armadura positiva das lajes.

No Brasil, esse sistema é largamente utilizado em edifícios comerciais, industriais, shoppings, hotéis, estacionamento e, também, em projetos residenciais. É muito comum em construções que utilizam estrutura metálica, mas também pode ser empregado em estruturas de concreto pré-fabricado ou moldado in loco.

Veja steel deck no catálogo de produtos
Veja fornecedores de steel deck

Normas técnicas

“Temos uma norma especifica, a NBR 16421/2015 - Telha-fôrma de aço colaborante para laje mista de aço e concreto - Requisitos e ensaios, da qual fiz parte da comissão e que, atualmente, está em revisão”, expõe Figueiredo.

Além disso, segundo ele, o anexo ‘Q’ da NBR 8800/2008 - Projeto de estruturas de aço e de estruturas mistas de aço e concreto de edifícios também aborda especificamente o dimensionamento das lajes mistas.

Vantagens do sistema

Para Figueiredo, as principais vantagens do sistema steel deck são:

O sistema tem custo extremamente competitivo. Se considerarmos um empreendimento comercial, por exemplo, onde o prazo de retorno financeiro é determinante, o sistema é imbatível
Luciano Figueiredo

• Velocidade de execução. A montagem é simples, sem necessidade de equipamentos especiais. As fôrmas são leves e uma equipe de cinco pessoas treinadas consegue montar de 800 a 1.000 m² em apenas um dia de trabalho.
• Elimina a necessidade de escoramento. Consequentemente, permite a simultaneidade de tarefas. “Podemos executar a concretagem de uma laje enquanto outros trabalhadores fazem o acabamento nos andares inferiores”, comenta.
• Economia de armadura; redução de desperdício e resíduos sólidos a quase zero; ecologicamente sustentável, pois o aço é 100% reciclável. “Além de oferecer maior segurança, pois as fôrmas servem como plataforma de trabalho”, destaca.
• O steel deck pode ser fixado na estrutura com pinos através de pistolas pneumáticas, permitindo sua instalação independentemente de fatores externos, como a chuva. Possibilita a fácil instalação de dutos para os sistemas elétrico e hidráulico. Quando pintado, dispensa a utilização de forros para acabamento.
• Admite a utilização de conector de cisalhamento do tipo “Stud Bolt”, permitindo o cálculo de vigas mistas, que reduzem o peso das vigas na estrutura em até 30%.
• Durante a montagem, o sistema steel deck atua como diafragma horizontal, proporcionando o travamento da estrutura.

“Considerando todas essas vantagens, o sistema tem custo extremamente competitivo. Se considerarmos um empreendimento comercial, por exemplo, onde o prazo de retorno financeiro é determinante, o sistema é imbatível”, observa Figueiredo, acrescentando que quem utiliza o steel deck uma vez, dificilmente volta a executar lajes com o método convencional.

Cuidados na montagem

A tarefa de montagem é simples e não exige formação específica. “Normalmente, montadores de estruturas metálicas executam a montagem do steel deck sem complicações”, reforça.

Normalmente, montadores de estruturas metálicas executam a montagem do steel deck sem complicações
Luciano Figueiredo

Como em qualquer sistema construtivo, é preciso observar alguns cuidados especiais. Por utilizar aço galvanizado, a manutenção da laje é reduzida. Em zona marítima, ele recomenda pintura na parte exposta.

Além disso, é importante evitar o empoçamento do concreto, pontualmente, durante a concretagem. Interessante saber que o steel deck resiste a um Tempo Requerido de Resistência ao Fogo (TRRF) de até 30 minutos.

“Para TRRF superior a isso, deve-se utilizar armaduras adicionais, conforme prescrições da norma ABNT NBR 14323”, orienta. Esse recurso deve ser previsto, ainda, para evitar a fissura por tendência de continuidade das vigas e retração do concreto, entre outros fatores.

Leia também:
Com dupla-função, steel deck racionaliza e acelera a obra
Montagem e concretagem de steel deck exigem cuidados especiais

Colaboração técnica

Luciano Figueiredo  – É engenheiro civil e mestre em Engenharia de Estruturas pela UFMG. Foi diretor técnico por 10 anos da Metform, empresa que se uniu à Isoeste Metálica, onde atualmente é consultor. Além da Metform, trabalhou nas empresas: Icec, Metalúrgica Barra do Piraí e Usiminas Mecânica. Hoje, é sócio-diretor da LBL Metálica.