Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Também conhecido como laje mista ou laje colaborante, o sistema steel deck é uma solução bastante procurada por construtores, pois reduz etapas da obra e, consequentemente, o prazo de entrega.

O sistema steel deck permite a realização simultânea de várias etapas do processo construtivo em diferentes andares de um edifício graças à exclusão total ou parcial de escoras na concretagem. O escoramento é desnecessário em locais com vãos entre 2 m e 4 m. Além do mais, essa solução tem dupla função: faz o papel de fôrma durante a execução da laje e, após a cura do concreto, vira uma armadura positiva.

Outras vantagens do steel deck, sistema composto de aço e concreto, é que os perfis metálicos autoportantes servem de plataforma para que os profissionais trafeguem com segurança; funciona como um diafragma horizontal ao travar a estrutura; e é uma solução sustentável, já que gera pouco entulho - como a fôrma é parte da estrutura, tem-se um material a menos a ser descartado.

O steel deck pode, ainda, ser associado a outras tecnologias e suporta incêndios que durem até meia hora. Dependendo do tipo de edificação, é necessário aumentar o tempo de resistência ao fogo, por exemplo, instalando armaduras adicionais.

A laje mista combina tanto com estruturas metálicas quanto de concreto e é indicada para diferentes tipos de projeto: residenciais, comerciais e industriais - de siderúrgicas a estádios de futebol. é particularmente indicada para edifícios altos, mezaninos, ampliação de espaços e obras com canteiro pequeno.

Especificação do steel deck

O sistema steel deck é formado por chapas trapezoidais de aço galvanizado, concreto com resistência mínima à compressão e malha antifissuração. Para que funcione adequadamente, os perfis têm em sua superfície ranhuras e reentrâncias que variam de acordo com o fabricante e facilitam a adesão ao concreto.

No mercado, há chapas com 0,65 mm, 0,80 mm, 0,95 mm e 1,20 mm. Se não houver escoramento, uma chapa com 0,80 mm consegue cobrir vãos com até 2,80 m. No entanto, se houver escoras e a chapa for mais robusta, é possível cobrir vãos mais largos. A espessura da fôrma depende do tamanho do vão sem escoramento e da resistência pretendida para a laje mista. Para não errar na hora da especificação, vale verificar a tabela de carga do fabricante, que contém informações como espessura das chapas, vãos máximos permitidos, peso e espessura da laje, se é forro ou piso etc.

Execução do steel deck

Embora a execução da laje mista seja simples, é comum a contratação de empresas especializadas na montagem de estruturas metálicas. As fôrmas colaborantes são içadas até o canteiro de obras e alinhadas sobre as vigas. Então, são fixadas com pontos de solda bujão. Se as vigas forem mistas, a conexão é feita com stud bolt, por meio de soldagem por eletrofusão. Para costurar os perfis, são empregados rebites ou parafusos autobrocantes. O último passo é posicionar a malha antifissuração. Após esse procedimento, a concretagem pode ser feita.

A concretagem é a etapa que exige mais cuidados. A dica mais importante é não concentrar o peso do concreto em um só ponto da fôrma. Para isso, recomenda-se colocar a bomba de lançamento sobre as vigas e, dali, espalhar o concreto pelos vãos. Outra orientação é usar concreto mais fluido para evitar vibração na estrutura.

Segurança do steel deck

Para garantir a segurança dos consumidores, entrou em vigor, em 2015, uma norma específica para steel deck. A NBR 16.421 - Telha-fôrma de Aço Colaborante para Laje Mista de Aço e Concreto - Requisitos e Ensaios, da ABNT, estabelece os requisitos aos quais o material deve atender, independentemente do tipo: revestido, conformado a frio, de seção transversal trapezoidal, reentrante, retangular e ondulado com revestimento zincado por imersão a quente ou zincado por imersão a quente e revestido por pintura. Também determina os ensaios pelos quais o sistema precisa passar.

Clique aqui para saber mais sobre steel deck.