Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb
Lajes Nervuradas
Filtrar

PESQUISE POR ESTADO E REGIÃO

REGIÃO DE ATENDIMENTO

Lajes nervuradas

De acordo com a NBR 6.118/2003, da ABNT, Lajes Nervuradas são aquelas moldadas no local da obra ou que possuem nervuras pré-moldadas, cuja zona de tração para momentos positivos está localizada nas nervuras, entre as quais pode ser colocado material inerte. Essas nervuras podem ser unidirecionais (quando a distribuição de esforços é feita em um único sentido) ou bidirecionais (em dois sentidos).

Anulador de Nervura

Anulador de Nervura

Planex

Planex

Sistema Cabetex

Sistema Cabetex

Tubex

Tubex

O sistema nervurado deve respeitar as diretrizes estabelecidas pelas Normas NBR6118, NBR14859-1, NBR14859-2, NBR 14860-1 e NBR14860-2.

Vantagens de Lajes Nervuradas

Como as soluções nervuradas contêm até 30% menos aço e concreto no fundo da laje, elas são consideradas mais leves e econômicas do que as convencionais (macias). Para substituir o concreto, são usados materiais de preenchimento como isopor, blocos cerâmicos ou blocos vazados de concreto.

A leveza torna a laje nervurada opção ideal para vencer grandes vãos, já que os esforços nas vigas, nos pilares e nas fundações são reduzidos.

Tipos de lajes nervuradas

As lajes nervuradas podem ser moldadas in loco (no local da obra) ou constituídas de nervuras pré-moldadas.

A laje com nervuras pré-moldadas precisa de firmas (ou cubetas) plásticas ou em tablado, escoramentos e material de enchimento. Esse sistema, principalmente o que utiliza fôrmas plásticas, é indicado para prédios altos por ser mais resistente a esforços horizontais, dispensando a construção de pilares mais firmes.

As nervuradas em tablados são moldadas de forma definitiva, assim como as macias. Sua espessura e as nervuras dependem do material usado como enchimento. A desvantagem desse tipo é que consome muitas formas, sendo, então, uma solução cara. Já as fôrmas plásticas simplificam o escoramento, pois o tablado não é necessário.

Nesse caso, a dimensão das formas é que determina a altura da laje e o espaçamento entre as nervuras. Esse é um sistema mais econômico, por serem as formas recuperáveis e por não ser preciso nem assoalho nem enchimentos (que, além de encarecer a obra, a torna mais pesada).

A laje moldada in loco é composta de vigotas convencionais (tipo trilho) ou treliçadas, que fazem o papel das nervuras e suportam o seu peso, as ações da construção e os elementos de enchimento.

Esse sistema é mais comumente usado em edifícios de pequeno porte, ou seja, com poucos andares, e vãos com até 5 m. Ele dispensa o uso de fôrmas, pois o concreto fresco que formara capa de compressão já está presente nos componentes utilizados. Sem a necessidade de formas que representam cerca de 50% dos custos, esse tipo de laje nervurada torna-se mais econômica. 

Materiais de enchimento das Lajes Nervuradas

Os blocos cerâmicos ou de concreto costumam ser usados em lajes com vigotas pré-moldadas, pois são fáceis de executar. Sua eficiência térmica é melhor do que a do concreto maciço. No entanto, os blocos são pesados, o que é uma desvantagem.

Já os blocos de isopor (EPS) têm sido cada vez mais usados em Lajes Nervuradas com vigotas treliçadas pré-moldadas. Além da leveza, são facilmente cortados com fio quente ou serra, são resistentes à montagem das armaduras e à concretagem e apresentam excelente eficiência como isolante termoacústico.