Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Telhas shingle reduzem riscos de infiltrações

Até quatro vezes mais leves do que outros produtos e 100% estanques, podem ser especificadas para qualquer sistema construtivo

Publicado em: 06/03/2013Atualizado em: 16/03/2016

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket


Divulgação LP Brasil

Uma solução para coberturas composta por massa asfáltica, grânulos cerâmicos e fibra de vidro passa a impressão de ser pesada e necessitar de uma base especial para ser instalada. Mas com as telhas Shingle é exatamente o contrário: além de serem leves e de fácil montagem, agregam benefícios como estanqueidade e durabilidade. “É um sistema que proporciona beleza e praticidade para o telhado”, afirma o engenheiro Rubens Campos, diretor da LP Brasil.

Outra característica das telhas shingle é a flexibilidade. Elas são utilizadas em coberturas curvas, inclinadas e até mesmo como revestimento para paredes. “É um produto que se adapta aos contornos do telhado, dispensando acessórios como calhas, peças especiais para espigão e água furtada, o que confere aparência mais uniforme e qualidade estética superior à edificação”, comenta Campos.

ESPECIFICAÇÃO

A telha shingle pode ser especificada para qualquer sistema construtivo e tipologia arquitetônica, desde obras residenciais até comerciais e industriais. Por ser uma solução 100% estanque, é utilizada em locais com diferentes climas. “Uma das vantagens é a redução do risco de infiltrações. E como é até quatro vezes mais leve do que outros produtos, não há necessidade de uso de caibros e ripas nas estruturas. Também não ocorrem problemas como destelhamento ou quebras devido a ventos fortes ou chuva de granizo”, diz o engenheiro.



Divulgação LP Brasil

Para Campos o projetista precisa conhecer e entender o sistema. “Ao optar pela tecnologia shingle o profissional deve prever a redução da estrutura, a ventilação adequada do telhado, a paginação e a modulação dos painéis OSB. A correta especificação, além de evitar desperdícios e falhas no momento da instalação, garante um telhado com durabilidade e pouca manutenção”, complementa.

APLICAÇÃO

A estrutura, metálica ou de madeira, para receber a telha shingle precisa ser contraventada com painéis OSB. Essas chapas servem como base para aplicação de uma manta de subcobertura que garante a estanqueidade. “Antes de iniciar a instalação do produto é importante verificar o alinhamento da estrutura e se todas as bordas do painel OSB estão apoiadas e com junta de dilatação”, menciona Campos.

Os dutos de exaustão da cozinha e dos banheiros devem atravessar toda a extensão do telhado e despejar o ar para fora. Outro fator importante é a utilização do beiral e cumeeira ventilados, já que a falta de uma boa circulação do ar gera condensação de umidade, o que acarretará deformações na cobertura e desconforto térmico na edificação.

Após montar a estrutura, as telhas são pré-fixadas com um prego especial. O calor do sol completa a aderência entre o produto e a chapa. Outra recomendação é sempre utilizar os painéis OBS, mantas de subcobertura e pregos desenvolvidos especificamente para o sistema shingle.

QUALIDADE

Os padrões de fabricação das telhas shingle são estabelecidos pelas normas técnicas internacionais: UL 790 – resistência ao fogo classe A; ASTM D7158, classe H; ASTM D3018, tipo 1; ASTM D3161, tipo 1, classe A; e ASTM D3462.



Divulgação LP Brasil

MANUTENÇÃO

Campos explica que o produto quase não exige manutenção. “As telhas shingle possuem um sistema AR (Algae Resistant) que funciona como um autolimpante e mantém o telhado com aspecto de novo por muito tempo”, conta. Apesar desta tecnologia, ele recomenda que seja realizada uma limpeza periódica, ao menos uma vez por ano. “Pode ser feita com uma mangueira de jardim ou, em casos de sujeiras mais pesadas, é possível utilizar uma solução de água com cloro. Não é recomendado o uso de lavadoras de alta pressão, pois danificam o produto”, alerta.

VANTAGENS

Por ser inquebrável, com longa vida útil e que não requer trocas constantes, as telhas shingle são consideradas sustentáveis. Porém, é importante procurar fabricantes que garantam que a matéria-prima utilizada na fabricação seja certificada.

Como o sistema é leve, garante economia no momento de montar a estrutura, já que ela não precisa ser complexa. “É uma solução flexível, versátil, resistente, de fácil instalação, estanque e visualmente agradável”, comenta o engenheiro.

É bom saber

Em regiões com temperaturas mais altas, as telhas shingle são mais eficientes devido ao fato de o calor facilitar a aderência da manta asfáltica. Mas isso não impede que elas também sejam instaladas em locais frios.

Usualmente utilizadas na Europa e nos Estados Unidos, as telhas shingle são facilmente encontradas no mercado nacional. “Com a economia gerada na montagem da estrutura, garantia de estanqueidade e baixa manutenção, a shingle tem um excelente custo-benefício”, finaliza Campos.

Colaboração técnica

Rubens Campos – é mestre em engenharia civil e possui MBA em gestão comercial. Atualmente, exerce a função de diretor da divisão CES da multinacional LP Brasil.