Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

O que é steel frame e quando vale a pena utilizar?

Composto por perfis leves de aço zincado conformados a frio, com fechamentos em chapas delgadas, sistema construtivo é competitivo para casas de alto e médio padrão, fachadas e edificações de pequeno porte

Publicado em: 14/06/2022

Texto: Eric Cozza

foto de uma construção com base de sistema light steel frame
Alternativa de construção a seco, o steel frame se caracteriza pela leveza, velocidade de montagem e uso de componentes industrializados. Exige bons projetos, principalmente estrutural e de instalações, precisão no prumo e esquadro e cuidados com a estanqueidade. (Foto: Shutterstock)

O steel frame foi introduzido no Brasil, em escala comercial, nos anos 1990, com uma alternativa para casas de alto padrão. Desde então, muita coisa mudou: componentes importados passaram a ser fabricados no País e outras tecnologias de construção a seco, como o drywall, se integraram ao sistema construtivo, que acabou avançando para outras aplicações além da construção residencial, como fachadas e edificações comerciais, logísticas e até industriais de pequeno porte.

Normas técnicas relacionadas também foram desenvolvidas ou remodeladas, assim como diretrizes no âmbito do SiNAT (Sistema Nacional de Avaliações Técnicas de Produtos Inovadores e Sistemas Convencionais). São os casos da diretriz nº 3 – Sistemas construtivos estruturados em perfis leves de aço zincado conformados a frio, com fechamentos em chapas delgadas – e da nº 9 – Sistema de vedação vertical externa, sem função estrutural, multicamadas, formado por perfis leves de aço zincado e fechamentos em chapas delgadas com revestimento de argamassa.

O podcast AEC Responde convidou o Eng. Riberto Carminatti Júnior, mestre em construção civil pela Universidade Federal de São Carlos e diretor da Tecnobra – Tecnologia em Construção a Seco, para tirar dúvidas sobre o sistema construtivo. Confira a entrevista na íntegra.

Veja também:
Cimento CP II Z 32
Chapas de Ardósia
Grelha de Concreto 

AEC Responde – O que é steel frame? Para qual tipo de obra é mais indicado?

Riberto Carminatti Júnior – Basicamente, é um sistema construtivo em estrutura metálica leve, montado como um esqueleto estrutural. Com ele pronto, executamos fechamentos internos e externos. Temos diversos materiais para vedações externas, como o sistema EIFS, placas cimentícias ou de gesso, próprias para ambientes externos. E na face interna, utilizamos muito gesso acartonado, onde nós temos vários diferentes tipos de placas. Gostaria de aproveitar para explicar um pouquinho o que é o sistema EIFS, que eu acabei de mencionar. É muito utilizado fora do Brasil e consiste, basicamente, em colarmos quimicamente ou fixarmos mecanicamente EPS em um substrato do steel frame. Depois dessa fixação, executamos ali os acabamentos externos. Isso confere muita durabilidade, qualidade e um bom desempenho térmico e acústico para o sistema construtivo. Voltando ao uso, o steel frame também é muito utilizado para fachadas. É comum empregar o sistema para fachadas tanto de edificações verticais, de múltiplos pavimentos, quanto para estabelecimentos comerciais e residências unifamiliares de médio e alto padrão. É bastante competitivo também no mercado de escritórios, comércio e lojas de qualquer tipo.

Como o steel frame é um sistema muito mais leve do que a alvenaria, acaba facilitando a execução de grandes vãos. Possui bom desempenho e o custo se torna mais baixo
Eng. Riberto Carminatti Júnior, mestre em construção civil pela UFSCar e diretor da Tecnobra – Tecnologia em Construção a Seco

AEC Responde – O senhor mencionou a competitividade e a leveza do sistema. A cultura da construção civil brasileira, principalmente no caso de obras residenciais, ainda é muito artesanal, baseada no tijolo. Como o steel frame consegue competir nesse mercado? O custo global da obra é competitivo?

Carminatti – O sistema acaba se tornando competitivo em obras de alto e médio padrão. Porque nós temos hoje um avanço muito grande da arquitetura. Essas obras se tornaram mais complexas e isso aumenta a dificuldade da execução da alvenaria. É muito comum você encontrar vãos de 12, 15 metros em uma residência, onde você precisa ter um pavimento em cima dele. Aí a complexidade aumenta bastante. E como o steel frame é um sistema muito mais leve do que a alvenaria, acaba facilitando a execução de grandes vãos. Possui bom desempenho e o custo se torna mais baixo. Além disso, o steel frame confere muita velocidade para a entrega da obra. Você consegue montar a estrutura e chegar no acabamento de forma muito rápida. Obras de 500 m² podem ser executadas em dois meses, dois meses e meio, e já entram em acabamento. Tais fatores tornam o sistema muito competitivo para essas obras. Veja o caso de edificações comerciais: é muito comum você querer priorizar a velocidade, para inaugurar logo e começar a faturar. Com o steel frame, você consegue produzir muito mais rápido e melhorar o payback (retorno do investimento), tornando-o mais rápido. Isso é muito interessante para o empresário. No caso de fachadas, muitas vezes, você tem a dificuldade de executar vãos muito grandes, distantes. E aí o sistema mais leve facilita. Ou seja, a facilidade de execução do sistema com obras complexas o torna competitivo. Agora, para obras populares, é mais difícil, devido à facilidade da execução da alvenaria em edificações mais simples. Os custos dos materiais no steel frame são mais altos e ele não fica tão competitivo quanto nas outras tipologias que acabei de mencionar.

Recomendamos usar o máximo possível de materiais de um único fornecedor. Se você for trabalhar com o sistema EIFS, por exemplo, seria legal utilizar todos os materiais desse fabricante. Se optar por uma placa cimentícia para fechamento externo, a mesma coisa
Eng. Riberto Carminatti Júnior, mestre em construção civil pela UFSCar e diretor da Tecnobra – Tecnologia em Construção a Seco

AEC Responde – Quais são os principais cuidados que os profissionais devem tomar no projeto e na execução de edificações com o steel frame, para evitar futuras patologias?

Carminatti – Eu costumo elencar alguns itens importantes. O primeiro é sempre fazer projeto estrutural. O projeto em steel frame é bem diferente do similar em alvenaria. É muito comum termos 70 pranchas, somente de painéis. Temos projetos aqui com 300, 400 pranchas. É uma quantidade alta de detalhes. Então, é fundamental ter um bom projeto estrutural. Vale ressaltar também o projeto de instalações. Você precisa compatibilizar tudo e evitar surpresas na hora de execução da obra. Além disso, o profissional deve se atentar muito ao prumo e esquadro. Repare que, com o steel frame, você consegue montar a parede fora do local de aplicação. Você pode produzi-la até fora da obra e transportar para o canteiro. Então, deve ter cuidado na hora de instalar essa parede, ter certeza de esquadro e prumo. Outro cuidado importante é com relação à estanqueidade: verificar sempre os rufos, os elementos de estanqueidade de telhado e laje, para evitar problemas de vazamentos. Outra coisa: recomendamos usar o máximo possível de materiais de um único fornecedor. Se você for trabalhar com o sistema EIFS, por exemplo, seria legal você usar todos os materiais desse fabricante. Se optar por uma placa cimentícia para fechamento externo, a mesma coisa. Recomendo o uso dos materiais de um único fornecedor, do fabricante daquela placa, seguindo as recomendações dele. Isso vai evitar o surgimento de patologias durante a vida útil da edificação.

As pessoas também perguntam: Como utilizar drywall em banheiros e áreas molhadas?

AEC Responde – Uma das preocupações dos proprietários de edificações com sistemas construtivos inovadores é com a manutenção, ao longo da vida útil. Hoje é possível encontrar mão de obra e fornecedores preparados para atender essa demanda, no caso do steel frame

Carminatti – Sim, até porque eu costumo recomendar que a manutenção seja feita na face interna da edificação. Imagine que você tem uma parede qualquer e precisa fazer um reparo de hidráulica ou de elétrica. A face externa é composta por elementos mais caros, complexos, que tem um rigor muito grande de execução. Já na face interna, trata-se de gesso cartonado, que é um material abundante, com muita mão de obra disponível e vasta utilização na construção civil. Se você precisar de alguma manutenção, basta fazer um recorte do gesso cartonado com qualquer profissional da área, providenciar a manutenção de elétrica ou hidráulica e, em seguida, fechar aquela abertura e executar a pintura. Assim, a manutenção de qualquer elemento do sistema é muito facilitada. É diferente da alvenaria, que você precisaria quebrar e, por vezes, retirar pedaços grandes da parede. No steel frame, basta uma pequena abertura no gesso cartonado. A mão de obra, para isso, é bastante abundante e os materiais facilmente encontrados em todas as cidades do Brasil.

AEC Responde: envie sua dúvida técnica sobre construção, engenharia civil e arquitetura

Colaboração técnica

Riberto Carminatti Júnior – Engenheiro civil pós-graduado pela Fundação Getúlio Vargas e mestre em construção civil pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Diretor da Tecnobra – Tecnologia em Construção a Seco, é especialista no sistema construtivo steel frame. Atua desde 2008 nessa área com desenvolvimento de projeto estrutural, execução de edificações, cursos e consultoria técnica.