Filtrar

PESQUISE POR ESTADO E REGIÃO

REGIÃO DE ATENDIMENTO

Bombas para concreto e argamassa

A construção civil constantemente busca o máximo de eficiência e precisão. Nesse contexto, as bombas para concreto e argamassa desempenham um papel crucial. Afinal, são equipamentos que promovem a agilidade na obra, sem deixar de lado a qualidade. Outra vantagem dessas máquinas é a redução na perda de materiais durante a aplicação do concreto/argamassa.

As bombas são responsáveis por transportar as misturas do seu local de preparo (ou dos caminhões betoneira no caso de concreto usinado) para a área onde serão aplicadas. O uso dessa solução é mais indicado para cenários em que é preciso vencer grandes distâncias, ou então, quando existem diferenças consideráveis de altura entre os pontos de origem e destino.

Tipos de bombas para concreto e argamassa

Existem diferentes tipos de bombas para concreto e argamassa no mercado, sendo que cada equipamento tem as suas próprias características e aplicações. Saber diferenciá-los e entender quando usar cada um são os primeiros passos para alcançar os melhores resultados. As máquinas se diferenciam por sua potência, tubulação, entre outros fatores.

Bomba de pistão

Ideal para projetos de menor escala, essa bomba é altamente versátil. Por conta do seu tamanho reduzido, pode ser usada em espaços pequenos. É a escolha certa para os profissionais que buscam autonomia e alta produtividade na execução da obra.

Bomba helicoidal

Também conhecida como bomba de rotor-estator, destaca-se por sua capacidade de lidar com materiais viscosos, como argamassas. Utilizada em trabalhos como enchimentos, rebocos, acabamentos e reforço estrutural, oferece excelente controle de fluxo. Por conta do seu método de funcionamento, é capaz de preservar as características do material transportado.

Bomba de mangote

Apresenta menores níveis de potência e de velocidade no impulsionamento do concreto/argamassa. Assim, demanda que a mistura transportada apresente o slump adequado - caso contrário, o bombeamento é inviável. Esse tipo de equipamento costuma ser mais utilizado na execução de obras menores, como as residenciais.

Bomba-lança

Por ser acoplado em um mastro distribuidor, esse equipamento permite vencer distâncias maiores. No Brasil, os alcances mais comuns dessa lança são de 28 m e 32 m. Bastante robusta e pesada, essa máquina exige montagem sobre o chassi de caminhões.

Como escolher a bomba certa?

Existem diferentes variáveis que precisam ser analisadas no momento de selecionar a bomba certa para sua obra. Do tipo de projeto ao orçamento disponível, todas essas particularidades precisam ser levadas em consideração para que a seleção seja certeira. Conheça alguns dos fatores mais importantes a serem considerados nesse momento:

  • Tipo de projeto: o tamanho e a complexidade da obra influenciam na escolha da bomba, sendo que projetos maiores exigem bombas mais potentes.
  • Material: é preciso considerar se você vai trabalhar com concreto, argamassa ou outra mistura específica, já que essa particularidade afetará a escolha da bomba.
  • Acessibilidade: avalie o acesso ao local onde a mistura será aplicada, pois isso pode limitar o tamanho e o tipo da bomba.
  • Orçamento: Certifique-se de que a bomba escolhida se ajuste ao seu orçamento, levando em consideração custos de aquisição e operação.

Quando usar bomba na concretagem?

O uso de bomba na concretagem é indicado para obras que demandam alta produtividade e precisão no resultado obtido. Além disso, o equipamento também é indicado para promover a economia, pois garante uma distribuição precisa do concreto (reduzindo o risco de retrabalhos) e diminui a quantidade necessária de mão de obra para execução da atividade.

Empregadas em construções de diferentes portes - desde projetos residenciais até obras mais complexas -, as bombas são praticamente indispensáveis em canteiros de grandes extensões por conta da capacidade de transportar com eficiência as misturas entre pontos distantes.

Como é feito o bombeamento do concreto?

O bombeamento do concreto é feito em fases, começando pela preparação do equipamento. Nessa etapa, o operador posiciona a máquina próximo do ponto de aplicação e monta os acessórios necessários. Na sequência, um funil - ou outro dispositivo - é colocado dentro da mistura. Então, a bomba pressuriza o concreto e o empurra pela tubulação até a área desejada.

Durante o processo de bombeamento, é importante monitorar a consistência do concreto e a operação da bomba para evitar problemas como bloqueios ou vazamentos. Se necessário, a consistência da mistura pode ser ajustada para garantir a distribuição adequada. Finalizado o trabalho, o equipamento é limpo para evitar que o concreto endureça e cause obstruções.