Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Materiais hidráulicos

Toda edificação, seja de uso residencial ou comercial, precisa de um sistema para a condução de água e escoamento de esgoto eficiente, livre de vazamentos.

Para compor essa rede são utilizados diferentes materiais hidráulicos, como tubulações, dispositivos, equipamentos e reservatórios que têm como objetivo assegurar níveis aceitáveis de higiene, segurança, manutenção, economia e conforto aos usuários. Todos esses aparelhos e acessórios precisam garantir funcionamento contínuo às instalações, com pressões e velocidades adequadas.

Como escolher melhor seus Materiais hidráulicos: Compare preços e compre barato!

Reservatórios de água potável

Um dos principais componentes do sistema hidráulico, as caixas d’ água garantem o fornecimento de água mesmo em caso de interrupções no abastecimento da concessionária.

Em edifícios, esses reservatórios precisam ser dimensionados de acordo com o padrão de consumo, a frequência de interrupções no abastecimento, as flutuações na pressão da rede pública, e a reserva para combate a incêndios.

Os reservatórios podem ser de polietileno (mais comum) fibra de vidro ou aço inox. Independentemente da matéria-prima utilizada, eles devem preservar a potabilidade da água armazenada, bem como evitar o crescimento de algas e micro-organismos. É fundamental que as caixas d'água também apresentem resistência mecânica e estanqueidade.

Tubos e conexões

Utilizados para conduzir fluidos, tubos e conexões são um dos materiais mais importantes para o sucesso de uma instalação hidráulica. Para a condução de água fria, os materiais mais utilizados são de PVC roscáveis ou soldáveis. Esses últimos utilizam cola/adesivo para a união das peças.

Já para o transporte de água quente, são bastante usuais as tubulações de cobre, capazes de suportar altas temperaturas, podendo ser usadas até mesmo em caldeiras.

Outra opção são os componentes de CPVC (policloreto de vinila clorado), que também podem ser aproveitados em instalações de água fria. Esse material tem aplicabilidade, inclusive, em situações com pressão elevada ou quando é necessária maior resistência ao impacto.

O mercado oferece, ainda, tubos e conexões de PPR (polipropileno copolímero random), resina termoplástica que suporta altas temperaturas e pressões, além de ser atóxica e resistente à corrosão. Uma particularidade dos tubos de PPR é a união por termofusão, eliminando a necessidade de soldas e colas.

Há, por fim, os tubos PEX (polietileno reticulado), que podem ser utilizados na condução de água quente ou fria, bem como em redes de ar-condicionado e de gás natural ou GLP. O PEX é conhecido por sua elevada flexibilidade, permitindo a redução de conexões necessárias ao longo da instalação. Vale lembrar que quanto mais conexões, maior é a suscetibilidade de uma instalação a vazamentos.

Para esgoto, o material mais utilizado é o PVC específico para esse fim, disponível nas versões normal e reforçada.

Calhas, canaletas e condutores de águas pluviais prediais

Em habitações, estima-se que entre 40 e 50% do consumo de água possa ser atendido com água de reúso, em atividades como irrigação, limpeza e descargas de vasos sanitários. Os sistemas de aproveitamento das águas pluviais são compostos por calhas, canaletas e condutores que direcionam a água que cai sobre os telhados para reservatórios e cisternas. A partir desse ponto, bombas e dutos são utilizados para fazer a recirculação da água pluvial de forma segura, sem vazamentos.

Componentes do subsistema de esgoto sanitário

Há um conjunto de elementos que compõem o sistema de coleta e de transporte de esgoto, com destaque para os aparelhos sanitários (vasos, lavatórios, pias, mictórios, chuveiros e banheiras).

Além desses equipamentos, há ainda acessórios com papel importante para o funcionamento do sistema. É o caso dos desconectores (sifões e caixas sifonadas ), destinados a vedar a passagem de gases malcheirosos provenientes do esgoto para o ambiente.

Caixas de gordura e dispositivos de drenagem

Além de tubos e conexões, as instalações hidráulicas exigem outros componentes como as caixas de gordura , que recebem o esgoto proveniente do ramal da cozinha e impedem que a gordura seja conduzida para a tubulação de saída.

Igualmente importante é a caixa de inspeção, que deve ser instalada do lado de fora da construção para permitir o acesso no caso de manutenção das tubulações presentes no sistema de esgoto.

Os ralos são outros itens indispensáveis para o pleno funcionamento da rede hidráulica. Disponíveis em diferentes modelos, eles favorecem a drenagem do piso no qual estão instalados, servindo de conexão entre a superfície e o sistema de esgoto ou de drenagem.

Registros e válvulas para água e esgoto

Responsáveis pelo controle de fluxo e pressão dos fluídos, os registros e válvulas são dispositivos que não podem faltar nas instalações hidráulicas. Na maior parte das vezes, esses componentes são fabricados em liga de metal fundido, aço carbono ou aço galvanizado.

Aquecimento de água

Há muitas tecnologias disponíveis para o aquecimento de água . Em função da facilidade de instalação, muitas casas brasileiras utilizam equipamentos como chuveiros e torneiras elétricos. Mas existem, também, os equipamentos que funcionam a gás e que podem ser do tipo instantâneo e de acumulação. O primeiro funciona somente quando houver passagem de água pelo seu interior. Já os aquecedores de água de acumulação são constituídos por um reservatório que mantém a água aquecida.

Outra alternativa é o aquecedor de água solar, que utiliza placa coletora no telhado para absorver o calor do sol, e um reservatório, geralmente instalado abaixo do telhado, para armazenar a água quente.

Tratamento de água

A depender das particularidades da instalação e das necessidades dos usuários, pode ser instalado um sistema de tratamento de água . Essa tecnologia de filtragem costuma ser utilizada em edificações que aproveitam águas cinzas para fins não potáveis.

Ligações hidráulicas e de gás

Equipamentos de medição de água e de gás são peças importantes em uma instalação predial, sobretudo porque ajudam a identificar eventuais vazamentos. Entre eles, destacam-se os hidrômetros, responsáveis por fazer a medição do volume de água. Eles podem ser do tipo taquimétrico, também conhecido como hidrômetro velocimétrico, e do tipo volumétrico, mais indicado para condomínios por oferecer maior precisão na leitura.

Também as instalações de gás natural e GLP precisam de medidores fabricados em rigoroso atendimento às normas técnicas. Esses equipamentos devem ser aprovados pelo INMETRO e homologados junto às principais concessionárias.

Durabilidade dos materiais hidráulicos

De acordo com a ABNT NBR 15.575, norma técnica que trata do desempenho de edificações habitacionais, a vida útil esperada para as instalações hidrossanitárias é de, no mínimo, vinte anos. Contudo, esse período está associado a vários fatores, especialmente os cuidados com a manutenção.

Ferramentas para encanadores

Para realizar serviços de instalação e reparos em sistemas hidrossanitários, o encanador não pode deixar de contar com os equipamentos e instrumentos certos. Entre os itens mais importantes na caixa de ferramentas deste profissional estão marretas, corta-tubos, alicates para bombas d’ água, nível bolha, trena, tarraxas para tubos e serrotes.